Pavings by Alcupel - Pavimentos de Exteriores | Mosaicos Hidráulicos| Lajetas de Betão : Assentamento em Base Fléxivel | Lajetas

Assentamento em Base Fléxivel | Lajetas

RECOMENDAÇÕES DE ASSENTAMENTO EM BASE FLEXÍVEL

(Utilização Estritamente Pedonal)

 

1 – Conceito técnico

A pavimentação flexível consiste na colocação das peças sobre uma camada de areia, saibro ou pó de pedra, previamente compactada sem aglomerantes e o posterior preenchimento das juntas com a areia, saibro ou pó de pedra de calibre adequado, seguida da compactação do conjunto. O funcionamento das placas em pavimento flexível, depende directamente das cargas a que o local vai estar sujeito, mas sobretudo depende das condições de assentamento e do tipo de base que possuem.

 

 

Se a base de assentamento do painel não tiver uma capacidade portante homogénea e adequada aos esforços e cargas a que a sujeita, e se a sua superfície não se apresentar regular, o que pode acontecer, independentemente da espessura  e  eventual armadura da placa de pavimento é a ruptura da mesma. Esta situação não pode ser definida sem perceber o tipo de terreno que existe, as cargas a que vai estar sujeito e a base em que será aplicada.

 

 

 

2 – Avaliação do solo

Cabe à direcção de obra,   assumir a definição da solução integral (placa + base), uma vez que é desta a responsabilidade das condições de implantação e serviço a que estas vão estar sujeitas.

Na aplicação sobre terreno natural, o dimensionamento das várias camadas do pavimento deve-se basear na intensidade do tráfego previsto e na capacidade de suporte do solo (CBR).

 

3 - Assentamento

Há 2 aspectos fundamentais para se tirar o máximo partido da utilização deste tipo de materiais:

 

3.1- A preparação da sub-camada base a qual deverá estar devidamente compactada de forma a assegurar a capacidade de carga.

 

3.2- A existência de elementos de confinação e/ou contenção de modo a garantir a estabilidade e durabilidade do pavimento.

Regularizar / desempenar o terreno natural avaliando a sua capacidade de carga bem como o seu estado de saturação de humidade.

Aplicar 10 a 15 cm de material britado de granulometria extensa (tout venant) bem compactado e regado com um compactador de rolos (cilindro) munido de vibração. Nas zonas onde este equipamento não tenha acesso deverá compactar-se o terreno com auxílio de um compactador de impacto “saltitão”.

Nota-1: Caso o terreno tenha uma boa capacidade de carga, a camada de (tout-venant) é dispensável, sendo o procedimento restante idêntico.

 

Nota-2: Quando o solo tiver pouca capacidade de carga, deve ser substituído ou consolidado. Uma boa sub-base granular torna-se neste caso imprescindível.

Nota-3: Quanto à sub-camada base deve garantir-se ao máximo a sua boa compactação e que esta seja uniforme em todas as zonas de aplicação do pavimento.

Nota-4: Na eventualidade do acesso de veículos, aconselhamos uma base de assentamento rígida, adequada aos fins.

Estender uma camada de areia ou pó de pedra com cerca de 3 cm de espessura, preferencialmente húmida, regularizada (a nível ou não consoante a situação), com auxílio de mestras e uma régua.

 

Nota 1: Estes inertes só poderão ser aplicados em obra se devidamente secos.

Nota 2: Em caso algum a almofada de assentamento deverá ter mais de 3 cm.

 

Assentar a Lajeta com juntas de 1,5 a 3 mm. A Lajeta será sempre de espessura adequada e eventualmente reforçado com armadura.

Por cima da Lajeta aplicada espalha-se pó de pedra fino ou areia fina, varrendo-o de modo a facilitar a entrada nas juntas.

Proceder a uma rega cuidada de toda a área pavimentada procurando evitar o arrastamento da areia das juntas.

O pavimento estará já em condições de poder ser plenamente utilizado.

 

 4 – Limpeza e tratamento de Superfícies

Esta é a operação final que tem como finalidade eliminar resíduos de adesivo (cimento cola) ou outros materiais usados no processo de assentamento. A limpeza com ácidos é contra-indicada pois, pode prejudicar a superfície das peças bem como o rejunte; no caso de ser necessário uma limpeza mais profunda deve-se usar uma solução de base ácida neutralizada, e lavar com água em abundância. Depois do pavimento/revestimento estar totalmente limpo e seco deve-se aplicar um tratamento de superfície (impermeabilizante óleorepelente de base aquosa). Recomenda-se o cuidado de remover imediatamente qualquer agente manchante (gordura, cigarro, café, vinho etc.) que caía sobre o material, pois desta forma evita-se o surgimento de manchas de difícil remoção.

Existindo dúvida deverá contactar o departamento técnico.

 

Considerações:

A base

O projectista deve calcular a base de assentamento, em função do trânsito que irá suportar, enquanto pavimento pedonal.

 Inclinação

Com o objectivo de garantir uma correcta evacuação de águas pluviais, será necessário prever uma inclinação mínima adequada (1 cm por metro).

Juntas de Dilatação

Serão previstas as juntas de dilatação/movimento de acordo com o estudo técnico.

Corte

Os cortes devem realizar-se com máquina de corte de água com disco de diamante.

Advertências

Eflorescências: Tratam-se de fenómenos naturais, que não alteram as características técnicas do produto.

Não é permitido espalhar sal nos pavimentos externos e em pátios para desfazer neve ou gelo porque o sal é corrosivo e danifica a estrutura do material.

Não se aceitam possíveis reclamações de material já aplicado.

 

INFORMAÇÃO

As informações constantes desta ficha de assentamento foram fornecidas de boa fé e baseadas na experiência e conhecimentos actuais, não pressupondo portanto, uma garantia jurídica da má aplicação. Os utilizadores deverão sempre consultar as versões mais actuais, pois estas podem ser alteradas sem aviso prévio.

 

                     

 


Subscreva a nossa Newsletter